Colunista RC24h - Monike Azevedo: Construção de valores

É muito comum ouvirmos nos meios de comunicação sobre as virtudes, os valores, os legados e a importância do esporte para o desenvolvimento de crianças e jovens


Estaria sendo hipócrita em dizer que não acredito no esporte como potencial de desenvolvimento humano. Caso contrário, atuaria em outra área. Porém quando falamos de construção de valores, acho que o maior exemplo e de suma importância são os exemplos dos pais, afinal não são só as palavras que a criança aprende com eles, mas também a forma como eles falam e agem.

Se no ambiente familiar, a criança, não vivenciar diálogos com os pais ou se esses diálogos sempre acontecerem de forma agressiva ou hostil, a criança aprenderá que aquele é o modelo de comunicação ideal. Por isso que é importante que os pais tenham diálogos com seus filhos, e se interessem por suas ideias. Só assim eles poderão transmitir outros valores importantes para as crianças, como a honestidade, a ética e o respeito, além de demostrar também verbalmente o amor e companheirismo, tão fundamentais para essa relação.

Segundo o filósofo John Locke (1632/1704) "nossa mente quando nascemos é como uma folha em branco, que será preenchida ao longo da vida". Por isso, é na infância que podemos consolidar melhor os valores que vão nortear o futuro, além de facilitar o seu pleno desenvolvimento. No começo da vida a pessoa está em constante desenvolvimento, e assimila tudo com mais rapidez do que o adulto, que já está mais sedimentado.

O esporte tem muito a nos ensinar, por isso pode ser uma ferramenta se for bem utilizado para complemento da educação. Na prática de uma modalidade é possível aprender virtudes, fazendo, refletindo e sentindo. Isso pode ser imediato, numa mesma partida ou ao longo de uma competição. É possível aprender habilidades sociais que podem ser generalizadas para vida, como: tolerância a frustração, busca por objetivos, disciplina, respeito à diversidade, superação, cooperação, altruísmo, autoconhecimento e muitos outros comportamentos.

A competição é o combustível de qualquer modalidade esportiva e pode ser executada de maneira leal, honesta e saudável. Ela não precisa ser predatória, desumana ou imoral como verificamos em muitos aspectos de nossa sociedade. Na competição tem que exacerbar a meritocracia, ela tem que ser prazerosa e compreendida como natural em nosso cotidiano.

Cada valor, porém, tem uma forma diferente de ser exercitado, que pode inclusive nos surpreender. Sabemos, ainda, que nada é perfeito e que é fundamental na educação de qualquer criança, saber lidar com os "nãos" que a vida pode dar. Para o desenvolvimento da personalidade como um todo, é importante que a criança aprenda a lidar com frustrações, pois com o crescimento é inevitável que ela se depare com isso, e o pequeno conseguirá lidar melhor com tal situação, tendo desenvolvido recursos na primeira infância. Para isso, os pais precisam entender que eles não precisam resolver todos os problemas do filho, e se mostrando presentes e compreensivos com seus sentimentos já é suficiente, para que ela possa lidar com isso.

Acredito que nossas dificuldades passam também pela exposição inevitável de nossos alunos as transmissões de outros esportes e pela influência que muitos exercem em nossa cultura, principalmente, o futebol. Nesse, as reclamações com a arbitragem beiram a histeria coletiva.

Mas também acontecem no vôlei, no tênis, no basquete, entre outros, não só por atletas, mas por dirigentes, por técnicos, membros das equipes, da imprensa e por torcedores.

Quando falamos de valores temos que levar em conta diversos elementos e sempre lembrarmos que nossa relação com a aprendizagem no esporte é sempre "uma via de mão dupla" para quem está aberta a mesma, tanto influenciando como sendo influenciados.

Quando alguns alunos, estão em aula por estar, e não acrescentam valores ao "time" é hora de sua partida, aquele local não o pertence mais.

São as convicções e atitudes sobre as quais se constrói nossa sociedade, e constituem a pedra fundamental de nosso êxito. Valores duradouros que norteiam nossas ações, decisões e relações à medida quando nos esforçamos para cumpri-los.

 

Monike Azevedo é triatleta, responsável pelo "Projeto Social Monike Azevdo", fundado em 2007, com núcelos de escolinha de triathlon nas cidades de Iguaba Grande e São Pedro da Aldeia. Contatos: [email protected]; monikeazevedo (Instagram); http://www.monikeazevedo.com/

Categorias: Opinião Comportamento

Fotos da notícia




Outras notícias